OS 5 PECADOS MORTAIS DA INOVAÇÃO

18 Dezembro 2018

A Euromonitor International identificou o que considera ser os cinco piores erros na hora de inovar e desenvolver um produto. De acordo com a consultora, trata-se de um padrão de erros que as empresas cometem quando tentam inovar e que têm um antídoto comum: a melhoria da investigação sobre os mercados. 

De acordo com a Euromonitor, o avanço tecnológico e rápida caducidade das ideias está a pressionar a inovação de modo excessivo, impedindo, em algumas ocasiões, que os negócios cresçam. Esta pressão reflete-se nos cinco obstáculos ao crescimento.

Segundo a consultora, as empresas têm rígidos protocolos de investigação para os testes de conceito e lançamento de novos conceitos. Não obstante, descuidam a investigação na fase de geração de ideias. Aparentemente, as ideias surgem sozinhas e, a partir daí, começa a investigação, quando uma boa ideia devia ter proporcional importância ao valor que poderá gerar. Identificar as maiores necessidades dos consumidores ou clientes para o futuro é um passo crítico e que economiza tempo e recursos para as empresas, no longo prazo.

O estudo destaca também que as empresas tendem a centrar-se no seu próprio sector ou categoria de produtos, mas, na realidade, as inovações mais surpreendentes são as que resultam de investigações de mercado, que procuram mais informação além da realidade quotidiana da empresa. Ao observar as tendências globais, socioeconómicas e demográficas, assim como os movimentos auxiliares da indústria, os inovadores podem identificar novos padrões que os possam conduzir ao sucesso. 

Em muitas ocasiões, não são tomadas em consideração as tendências que possam afetar o futuro a médio prazo. Para evitar este erro, é importante contar com profissionais de investigação conhecedores destas tendências e de como podem afetar a empresa relativamente a um produto em particular. Em algumas situações, deve-se tomar um conceito amplo, como uma mega tendência, e reduzi-lo a ações tangíveis para cada categoria ou indústria. "Respirar outros ares pode ajudar a ventilar o negócio", diz a Euromonitor International. 

Outro erro indicado pelo estudo é que as empresas se focam na solução e não no problema. Uma vez identificada uma necessidade, tendem a saltar diretamente para novas ideias de produto e conceitos reais. A Euromonitor aconselha a dedicar o tempo necessário à compreensão completa do problema. É comum que, estando identificada uma carência, as empresas se centrem no lançamento de um novo produto, sem aprofundar o suficiente as características dessa necessidade. 

Finalmente, o centramento na data de lançamento. Algumas empresas privilegiam ser as primeiras a chegar ao mercado a serem as melhores. A recomendação dada pela Euromonitor para evitar cometer este erro é assegurar-se que o desenvolvimento do produto se centre no consumidor e nos benefícios que se pode gerar para ele. A Euromonitor aconselha, em primeira e última instância, investir nos estudos de mercado para conhecer o cliente, que considera um passo determinante para fazer com que o produto tenha sucesso no mercado.